Estudo indica de 68% das economias mundiais possuem metas relacionadas ao clima

Publicado ontem (23), o relatório da rede de pesquisadores da Universidade de Oxford e da ONG Energy and Climate Intelligence Unit (ECIU) concluiu que 68% das economias mundiais possuem metas relacionadas ao clima. O cenário, no entanto, é identificado como apenas um ponto de partida para o fim das emissões de gases do efeito estufa.

De acordo com a publicação, 20% das metas estão em concordância com a campanha da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima, Race to Zero, que promove critérios mínimos para o alcance das metas do Acordo de Paris. No entanto, segundo um dos autores do estudo, Richard Black, ainda é preciso engajamento de mais países e melhoria das propostas existentes. 

Identificou-se, ainda, que a maioria das metas estabelecidas possuem como horizonte o ano de 2050 e a China é o maior representante no que diz respeito a metas posteriores a esse prazo. Além disso, muitos dos compromissos analisados não especificam se utilizarão ou não compensações de carbono. As entidades que incluem esse mecanismo dão poucos detalhes sobre a maneira como praticam essa atividade. No geral, duas dificuldades principais são elencadas: a falta de compromissos de curto prazo e o desalinhamento dos compromissos estabelecidos no Acordo de Paris.

Participaram do estudo mais de 4 mil entidades, contando com todos os países reconhecidos, todos os estados e regiões nos 25 maiores emissores e todas as cidades com mais 500 mil habitantes na lista da Forbes Global 2000.

O estudo não apresenta nenhum tipo de avaliação sobre o Brasil, mas afirma que a pressão global é cada vez maior para o estabelecimento de compromissos climáticos, e que países como Austrália, Rússia e do Golfo podem ficar isolados caso não apresentem suas metas. 

Para mais informações acesse: Epbr

Foto:  Pixabay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.